Grêmiopédia - A enciclopédia do Grêmio

Acesse nosso novo site, a Grêmiopédia.

Todos os títulos do Grêmio

Como foram os grandes títulos do Imortal, do Mundial até os torneios internacionais.

A Conquista das Três Américas

Conheça a primeira conquista gremista das Américas nos anos 50.

Histórico de Confrontos

Confira o histórico de confrontos do Grêmio contra os mais variados times do Mundo.

Histórico de Campanhas

Histórico de campanhas gremistas na Libertadores, Brasileirão e outras competições.

O Dia em que o Grêmio venceu a URSS

Conheça essa façanha esquecida

30/11/2011

MATUTANDO: Eduardo Antonini, o destaque que deveria se tornar o próximo Presidente do Grêmio

Devemos mudar, não só nas contratações ou de estádio, nem simplesmente de Presidente, devemos eleger quem faz não que pode fazer. O nome certo para o Grêmio na próxima eleição não é Koff, Odone ou qualquer outro "grandão" que possa aparecer, mas alguém que demonstra dia-a-dia seu comprometimento com o futuro do Grêmio, com a modernização e, principalmente, com a profissionalização do clube, porta de entrada para o sucesso dos clubes europeus.

Antonini é e sempre foi um grande cara, não se tem em sua reputação de gremista qualquer mácula, ele está por amor, se não é a verdade, pelo menos é a clara imagem que passa em águas escuras. A condução da Arena e a dedicação que o mesmo tem com a torcida é prova disso, ele está à frente de tudo, todo o sucesso imensurável que a obra esta tendo é majoritariamente sua conquista.

Precisamos de alguém novo, mas ao mesmo tempo sério, alguém capaz de mudar o Grêmio sem retirar sua essência, alguém que “bote a boca no trombone” e tenha peito de criticar seu próprio grupo político em favor do Imortal, alguém que ama o Tricolor Gaúcho e consegue, ao mesmo tempo, ser frio e calculista nos negócios, alguém como Antonini.

27/11/2011

BR'11: Pelo menos a vaga na Sul-Americana



Uma chance de título, essa é a única definição daquilo que se pode tirar de bom da vaga na Sul-Americana de 2012. A pretensão gremista tem de ser a Copa do Brasil, mas, no segundo semestre, a competição continental tem que ser ambicionada como o Vasco vem fazendo, mesmo com a disputa pelo título do Brasileirão.

O jogo foi sofrível, Victor falhou novamente, o hábito do arqueiro tricolor deveria ser contido com um período no banco, dando chances para o promissor Marcelo Grohe. O Gauchão, principalmente no seu início, seria um bom teste de novas opções para a goleira gaúcha, Victor já é ídolo, mas não é intocável.


Primeiro tempo

Foto: Jefferson Bernardes/Preview.com/Gazeta Press
Quem jogou mais foi o Grêmio. Buscando a afirmação na Sul-Americana, a equipe tricolor foi para cima dos visitantes, apesar do débil ataque, levamos perigo para a defesa adversária. O ímpeto gremista foi quebrado cedo, aos 24 minutos Anselmo recebeu dentro da área, desviou de Victor e fez o primeiro gol no Olímpico, começamos atrás no placar.

O gol foi o remédio para a motivação extra dos azuis. Escudero foi o destaque da pressão por duas vezes, primeiro chutou para fora e depois quase fez por cobertura, dois lances de perigo para os goianienses. O zagueiro Rafa Marques também tentou de cabeça, mas não levou.

Não faltava vontade de alguns, até Douglas jogou com um pouco mais de qualidade do que de costume. Se sobrava interesse de alguns, faltava qualidade do todo, a principal causa da derrota parcial no final da primeira etapa de jogo em casa.


Segundo tempo

Foto: Wesley Santos/Futura Press

Celso Roth modificou a equipe em busca do gol de empate, nada mais do que isso. O gol veio, aos 10 minutos de partida William Magrão recebeu pela direita e bateu cruzado no canto do goleiro Márcio, era o início da recuperação tricolor em campo.

Mal parava de balançar a rede e já fazíamos o segundo, aos 11 minutos André Lima mandou para Mário Fernandes, que chutou cruzando e Marquinhos completou com um carrinho para dentro do gol. Com um 2x1 a vaga estava mais que garantida, de quebra iríamos para o Gre-Nal com um pouco mais de moral para estragar a festa vermelha.

Como se já não estivesse recheado de volantes, Roth resolvei colocar mais. Tirou Marquinhos e colocou Adilson sob vaias. A alteração completamente equivocada teve seu preço, aos 38 minutos Anderson fazia o segundo dos visitantes, créditos ao técnico gremista.



GRÊMIO 2 x 2 ATLÉTICO-GO
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 27 de novembro de 2011, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Francisco Assis Almeida Filho (CE)
Assistentes: Arnaldo Rodrigues de Souza e Carolina Romanholi Melo (ambos do CE)
Cartão amarelo: Willian Magrão e Adilson (Grêmio); Joilson, Pituca, Bida e Vitor Júnior (Atlético-GO)

Gols: GRÊMIO: Willian Magrão aos dez minutos e Marquinhos aos 11 do segundo tempo
ATLÉTICO-GO: Anselmo aos 24 minutos do primeiro tempo e Anderson aos 38 da etapa final

GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Saimon, Rafael Marques (Gabriel) e Julio Cesar; Willian Magrão, Vilson, Marquinhos (Adilson), Douglas e Escudero; André Lima
Técnico: Celso Roth

ATLÉTICO-GO: Márcio; Rafael Cruz, Gílson, Anderson e Thiago Feltri; Ernandes (Diogo Campos), Pituca, Joílson (Vitor Júnior) e Bida; Felipe (Juninho) e Anselmo
Técnico: Hélio dos Anjos




Resultado\ Próximo jogo

Com o empate chegamos a 48 pontos, na 12ª colocação, livres do rebaixamento e garantidos na Sul-Americana. Nosso próximo jogo é domingo, no Gre-Nal de encerramento do campeonato, que não vale nada para nós, mas a Libertadores para eles.




Vídeo:




21/11/2011

Fora Roth! Chega de incompetentes no Grêmio




20/11/2011

BR'11: De férias, Grêmio é derrotado novamente em casa

Como de costume, o Grêmio não tem mais nada o que fazer no Campeonato Brasileiro. A derrota diante do Ceará em pleno Olímpico deixa claro que ninguém esta preocupado com o time, mas tão somente em acabar de vez com o ano de insucessos. Temos o Gre-Nal pela frente como único jogo importante, já que é a chance de acabar com a festa dos rivais, vamos jogar "elenco" gremista.


Primeiro tempo

Foto: Terra Esportes
De um lado faltava motivação do outro qualidade. Por isso Grêmio e Ceará passou longe de ser um jogo empolgante. Poucas chances ocorreram. Os visitantes tinham em Osvaldo a principal arma. O atacante criou dificuldades para os defensores gremistas. Aos 12, após cobrança de escanteio, Heleno perdeu.

Pelo Grêmio, Leandro foi o atleta que mais perigo causou ao gol do oponente, o jogador dividiu bola com Fernando Henrique, puxou contra-ataque desperdiçado por Douglas e mostrou que se algo poderia ser feito pelos locais partiria de seus pés. A 28 minutos, Osvaldo se destacou entre todos, o atacante se livrou de dois marcadores e rolou para Felipe Azevedo, sem marcação o jogador deslocou Victor e abriu o placar.

Mas a alegria do Ceará durou pouco. A celebração parou 9 minutos depois. André Lima recebeu de Douglas e devolveu de primeira para o meia, que chutou cruzado e empatou a partida. O lance significou o fim das atividades no primeiro tempo, encerrado com empate em 1 a 1.


Segundo tempo

Foto: Terra Esportes
Logo no início da segunda etapa, Rafael Marques derrubou Thiago Humberto dentro da área: pênalti para o Ceará. Felipe Azevedo bateu, fez seu segundo e do time cearense na partida. Não bastasse os dois gols, Felipe Azevedo ainda fez mais um. Aos 12 minutos ele entrou sozinho, chutou, Victor defendeu e na segunda oportunidade o jogador colocou na rede, definindo o jogo. Osvaldo ainda quase fez um golaço, o Grêmio tentou pressionar.

No último minuto, Miralles recebeu lançamento de Marquinhos, tentou driblar um marcador, que tocou com a mão na bola. Pênalti, que o próprio Miralles bateu e errou, aumentando a pressão, as vaias, e as críticas para o time e Celso Roth. Em determinado momento, a cada passe certo do Ceará, "Olé" era o som que vinha da arquibancada.

Ao fim do jogo, vaias e "adeus Celso Roth" foram os gritos da torcida, sensatez que ainda não chegou ao Imperador Paulo Odone, que acredita veementemente que o técnico deve ficar em 2012, contaminando o possível bom time que será montado na temporada que está por vir.



FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 x 3 CEARÁ

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 19 de novembro de 2011, sábado
Horário: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (Fifa-RJ)
Assistentes: Jackson Massara dos Santos (CBF-RJ) e Marcelo Braz Mariano (CBF-RJ)
Cartões Amarelos: Rafael Marques, Saimon e Fernando (Grêmio); Juca e Eusébio (Ceará)
Gols:
GRÊMIO: Douglas, aos 37 minutos do primeiro tempo.
CEARÁ: Felipe Azevedo, aos 12 minutos do primeiro tempo, aos quatro e aos 29 minutos do segundo tempo.
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Rafael Marques, Saimon (Vilson) e Julio Cesar; Fernando, Adilson (William Magrão), Douglas, Marquinhos e Leandro; André Lima (Miralles)
Técnico: Celso Roth
CEARÁ: Fernando Henrique; Heleno, Thiago Matias, Daniel Marques e Eusébio; João Marcos, Juca, Michel e Thiago Humberto (Leandro Chaves); Felipe Azevedo (Paulinho) e Osvaldo (Washington)
Técnico: Dimas Filgueiras


Resultado\ Próximo jogo

Com o resultado, o Grêmio chegou ao quarto jogo sem vitória com 47 pontos. Nosso próximo contronto é dia 26 de novambro diante do Atlético-GO em casa, precisamos de poucos pontos para confirmar matematicamente nossa vaga na Sul-Americana 2012.



Vídeo:




17/11/2011

BR'11: Bom jogo do coadjuvante da competição

Coadjuvantes, para alguns mais exaltados talvez até figurante, esse é o Grêmio no Brasileirão 2011. As apostas foram altas, este talvez tenha sido o erro, muitas apostas e poucas afirmações no elenco tricolor, mesmo assim conseguimos fazer, mesmo que perdendo, um grande jogo. Esperamos que em 2012 os grandes jogos sejam corriqueiros e que, no final, sejamos nós a comemorar, como verdadeiros protagonistas que somos.


Primeiro tempo

Foto: Dhavid Normando/Photocamera/Divulgação
O confronto no Rio de Janeiro começou com as equipes demonstrando comportamentos distintos. De um lado, o Fluminense nervoso, errando o último passe. De outro, o Grêmio, mais relaxado e esperando a hora certa para arriscar. E esse momento chegou aos 16 minutos quando Diego Cavalieri saiu de forma equivocada após cobrança de escanteio e permitiu que Rafael Marques cabeceasse tranquilamente para o gol: 1 a 0.

Três minutos depois, Leandro Euzébio aproveitou uma sobra na área gremista e soltou a bomba, mas acabou levando azar já que a bola explodiu no travessão do goleiro Victor. A tentativa do zagueiro foi apenas uma demonstração de que o Flu não havia sentido o gol do rival. E se a bola parada foi fatal para um lado, acabou sendo para o outro também. Aos 24, Marquinho cobrou falta cruzada e contou com o desvio de Fred, que mandou para as redes, deixando tudo igual: 1 a 1.

E se em desvantagem no placar o time de Abel Braga mostrou personalidade para reagir, quando conseguiu ficar em igualdade, pareceu ter apagado em campo. Como consequência, acabou sofrendo o segundo gol, aos 45, em uma bela cobrança de falta de Marquinhos, que já havia marcado duas vezes no jogo entre os Tricolores no primeiro turno.


Segundo tempo

Foto: Dhavid Normando/Photocamera/Divulgação
Na etapa complementar, o Fluminense voltou sem inspiração, mas ainda assim conseguiu um novo empate logo aos sete minutos. Depois de fazer muita falta na derrota para o América-MG, Deco fez excelente lançamento para Fred que dominou e bateu firme para fazer 2 a 2.

Igualdade refeita, o Tricolor das Laranjeiras partiu com tudo para a virada e conseguiu com o atacante Rafael Sobis, que pegou uma bola espirrada na entrada da área aos 16, tirou da marcação e soltou uma pancada que só parou no ângulo direito de Victor: 3 a 2. Com o Flu na frente, enganou-se quem pensou que a fatura estava liquidada. Em dois minutos, os gremistas conseguiram passar à frente no placar mais uma vez. Aos 29, Brandão fez de cabeça, e, aos 30, Adilson marcou um golaço de fora da área para assinalar 4 a 3.

Sem tempo para o torcedor respirar, aos 31, Carlinhos sofreu pênalti de Adilson. Na cobrança, Fred bateu e fez o seu terceiro: 4 a 4. Quatro minutos depois, o camisa 9 do Flu voltou a ser mortal ao aproveitar uma rebatida na área para mandar para o gol e conseguir a revirada dos cariocas no 5 a 4. Aos 50 minutos, Fred mandou uma bola no travessão, mas aí já seria demais.


FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 5 X 4 GRÊMIO
Local: Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 16 de novembro de 2011 (Quarta-feira)
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
Cartões amarelos: Matheus Carvalho (Fluminense); Marquinhos, Lúcio e Rafael Marques (Grêmio)
Cartão vermelho: Brandão (Grêmio)
GOLS: FLUMINENSE: Fred, aos 24min do primeiro tempo, 7, 33 e 35min do segundo tempo; Rafael Sóbis, aos 16min do segundo tempo
GRÊMIO: Rafael Marques, aos 16min do primeiro tempo; Marquinhos, aos 45min do primeiro tempo; Brandão, aos 29min do segundo tempo; Adílson, aos 30min do segundo tempo
FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Mariano, Leandro Euzébio, Elivélton e Carlinhos; Diguinho, Valencia, Marquinho (Matheus Carvalho) e Deco (Souza); Rafael Sóbis (Rafael Moura) e Fred
Técnico: Abel Braga
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Gilberto Silva (Saimon), Rafael Marques e Gabriel; Fernando, Adilson, Marquinhos (Leandro), Douglas e Lúcio (Miralles); Brandão
Técnico: Celso Roth

Resultado\ Próximo jogo

Depois de três viradas e nove gols, o Grêmio acabou derrotado e com 47 pontos na tabela. Nosso próximo jogo é contra o desesperado Ceará, em Porto Alegre. Já que não temos mais chances de nada, torço por uma derrota azul para que o Cruzeiro, sempre algoz gremista, seja um novo estreante na Série B.



Vídeo:



16/11/2011

EXÉRCITO: O Gladiador é nosso




Negociação que se arrastava desde o final de outubro, quando o jogador foi afastado do elenco do Palmeiras chegou ao fim, a qualidade do atleta despertava a cobiça de muitos clubes, dentre eles Grêmio e Corinthians. Paulo Pelaipe confirmou, oficialmente a partir dessa quarta-feira o atacante Kleber é nosso.

Para fechar com Kleber, o Grêmio teve que superar a concorrência forte do Corinthians, que manifestou interesse no jogador, além de ceder o lateral Gilson para o Cruzeiro, que desejava uma compensação financeira para dar aval ao negócio. A Raposa tem 50% dos direitos econômicos do atacante. Especula-se que Kleber receberá R$ 500 mil/mês.



Kléber (Gladiador)

Nome: Kléber Giacomance de Souza Freitas
Idade: 26 anos
Altura: 1,73m
Peso: 78 Kg
Pé: Destro
Títulos: Campeonato Ucraniano de 2003-04 e 2006-07; Copa da Ucrânia de 2005, 2006 e 2007; Campeonato Paulista de 2008; Campeonato Mineiro de 2009; Mundial Sub-20 de 2003 e Troféu Gustavo Lacerda Beltrame de 2010

14/11/2011

BR'11: Acabou o ano gremista

A Direção do Grêmio acusa, sua incompetência absoluta na gestão do Grêmio deixará marcas muito profundas na vida do clube, avisam quem vai embora, desmobilizando meio grupo (ocasionando inegavelmente o empate e quase derrota para o Palmeiras), esquecem que ainda poderiam lucrar com bilheteria ou com a venda de um desses jogadores em caso de boas atuações. A falta de "tato" para os negócios do clube será tratado em um post especifico neste blog, nos voltemos então para o jogo ontem no Olímpico.


Primeiro tempo

Foto: Ricardo Duarte\ZHEsportes
Quem acreditaria no Palmeiras? Talvez alguém inteligente o bastante (não é o meu caso) para observar o ato homicida da Direção gremista que já fez até "listinha" de despensas. Não bastasse o clube por si só carecer de bons jogadores nos mais diversos setores, o banho de água fria nas pretensões de alguns atletas afeita inegavelmente o psicológico dos jogadores, cada vez mais importante no mundo do futebol.

A "mãozinha" da diretoria surtiu efeito logo no início de jogo, o Palmeiras foi de pouco a pouco estabelecendo seu domínio, diferentemente dos gaúchos, os paulistas estavam mobilizados para a partida, era a chance de fugir do rebaixamento batendo a porta.

Com vontade, o Verdão atacou principalmente com Tinga, grande nome da primeira etapa. Com pouca qualidade quando completo, pior quando desfalcado, assim era o Tricolor quando perdia um de seus melhores jogadores, Escudero saiu lesionado, dando lugar ao limitadíssimo Brandão.

Foto: Ricardo Duarte\ZHEsportes
Os acontecimentos em campo prenunciavam um revés, não demorou muito para os temores virarem gol. Aos 26 minutos, depois de muito assustar, Tinga cruzou na cabeça de Ricardo Bueno, que empurrou a bola contra o gol gremista Victor até conseguiu fazer uma defesa brilhante, mas no rebote Cicinho estufou a rede. Grêmio 0x1 Palmeiras

O Grêmio apagou, não havia qualquer perspectiva de melhora, mesmo assim o técnico odonista para 2012 não mexeu no time, para ele tudo está bom, mesmo quando monta um time a sua imagem e semelhança. Pode trazer Kleber, Love, até Ganso, Messi ou Cristiano Ronaldo, mas com Juarez Roth não teremos nada além de quases.


Segundo tempo

Foto: Ricardo Duarte\ZHEsportes
Demorou mas saiu a substituição. Contrariando sua burrice, o técnico odonista retirou Adilson e colocou Leandro. Mal deu tempo de aplaudir a substituição inteligente e rara do Prof. Roth, aos 6 minutos Leandro já assustava o goleiro Palmeirense Deola.

Apesar de ter melhorado, o Grêmio não deixava de ser uma peneira na defesa, a consequência foi o segundo gol. Em uma falta cometida por Fábio Rochemback, Marcos Assunção fez o que sabe fazer melhor, gol com bola parada. A bola metida contra o gol de Victor bateu em um jogador gremista e ricocheteou para as redes, Victor de um lado, bola do outro.

Foto: Ricardo Duarte\ZHEsportes
Roth acertou (como é bom dizer isso). Aos 23 minutos, Leandro fez uma jogada de mestre, atacou pelo lado esquerdo do campo e cruzou para Brandão diminuir. Dalí em diante o Imortal pressionou, em boas jogadas quase conseguia o empate, mas o tempo passava e nada. A situação parecia irreversível, mas apenas parecia.

Aos 46, Fernando mostrou que sua imagem passada no começo do ano era equivocada, preciso, mandou um torpedo direto para o gol palmeirense, o Grêmio empatava um jogo quase perdido, infelizmente temos que fizer que o um ponto conquistado no Olímpico foi mais do que de bom tamanho.



FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 2 X 2 PALMEIRAS
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 13 de novembro de 2011, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR)
Assistentes: Marco Antônio Martins (SC) e Gilson Bento Coutinho (PR)
Cartões amarelos: Fábio Rochemback, Júlio César, Leandro e Fernando (Grêmio). Tinga, Márcio Araújo, Ricardo Bueno, Gerley, Luan (Palmeiras)
Público: 12.193 pagantes
Renda: R$ 259.905,00
GOLS: GRÊMIO: Brandão, aos 23, e Fernando, aos 46 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Cicinho, aos 25 minutos do primeiro tempo. Marcos Assunção, aos 14 minutos do segundo tempo.
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Gilberto Silva, Rafael Marques e Julio César; Fábio Rochemback (Gabriel), Fernando, Adilson (Leandro), Douglas e Escudero (Brandão); Miralles
Técnico: Celso Roth
PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Leandro Amaro, Thiago Heleno e Gerley; Marcos Assunção, Márcio Araújo, Tinga, Patrik e Luan; Ricardo Bueno (Fernandão)
Técnico: Luiz Felipe Scolari



Resultado\Próximo jogo

Com o empate, o Grêmio chegou a 47 pontos na 11ª posição. Estamos a oito pontos da classificação para a Libertadores da América faltando quatro rodadas, ou seja, é praticamente inviável uma classificação, principalmente devido a grande atuação da Direção para isso.

Nosso próximo jogo é pedreira. Viajamos para o Rio de Janeiro, onde enfrentaremos o Fluminense no estádio Engenhão, o jogo será dia 16 de novembro, às 20h30min, quarta-feira.



Vídeo:

10/11/2011

MATUTANDO: Erros da Direção, um hábito em 10 atos


Mais de um ano se passou e a Direção gremista acumula um assustador numero de erros que demonstram o quão tecnicamente deficientes e avessos a profissionalização do clube são os gestores do futebol. O ano iniciou com o fracasso estrondoso na tentativa de contratar Ronaldinho, mas não é este o primeiro ato errôneo da gestão, o problema vem de muito antes, na formação da chapa de Odone já surgiam os primeiros rumores da desorganização que viria a se confirmar. Vamos dividir a crítica do ClicGrêmio em 10 atos, os quais são embasados apenas em fatos que consolidam a bagunça vivida pelo Imortal Tricolor dos Pampas.


Ato 1

Paulo Odone de Araújo Ribeiro é eleito presidente do Grêmio em 7 de setembro de 2010, o que se pensava como a melhor solução para salvar o clube dos tempos de seca e de uma gestão ruim do então Presidente Duda Kroeff acabaria sendo um banho de água fria para a nação gremista. Já neste momento surgiam rumores de que alguns integrantes da chapa do candidato Odone não sabiam que estavam inscritos, ou seja, pessoas que futuramente decidiriam o futuro do Grêmio nem sabiam que estavam concorrendo, não foram informados NEM DE SUA INSCRIÇÃO. Mesmo após os rumores, o atual Presidente e sua chapa "destruíram" a oposição nas eleições, ficando com o controle quase absoluto do clube.


Ato 2

Após eleito, Paulo Odone iniciou discretamente a formação do "grupo de 2011". A primeira e grande jogada da Direção seria a contratação do jogador Ronaldinho Gaúcho que estava no banco do Milan e queria voltar ao Brasil, a noticia acabaria vazando, e outros clubes surgiriam na jogada.

Não é de recriminar a atitude de Odone e de seu então vice de futebol Antônio Vicente Martins, buscavam um grande nome para formar o elenco do ano seguinte, o erro estava nas tratativas por apenas esse jogador, esqueciam os dirigentes que um time de futebol é formado por 11 titulares e um bom banco de reservas. Ignoraram a celebre frase do poeta britânico John Donne: "nem um homem é uma ilha", algo plenamente adaptável ao mundo do futebol.


Ato 3

Depois de uma novela interminável na tentativa da contratação de Ronaldinho, que iniciara as escondidas em 2010 e caiu como uma bomba na mídia, o Imortal entrou em um verdadeiro leilão feito pelo irmão do jogador, A$$is, que durou vários meses de desgaste.

Após de uma longa a queda de braço pelo ex-craque contra Flamengo e Palmeiras, foi determinado a colocação caixas de som para a festa de apresentação do jogador e de seu irmão, mas ambos deram literalmente um "bolo" no Tricolor, o que culminou horas depois na desistência do negócio pelo clube.


Ato 4

Depois de praticamente ignorar outras contratações e de esquecerem por completo as renovações de contrato, dando total atenção a fracassada tentativa de contratação de Ronaldinho, o Grêmio teve mais uma perda irreparável. Com multa rescisória irrisória, sem atenção do clube e com grande vontade de jogar na Europa, Jonas deixava o clube por míseros 1,25 milhão de euros e partia para o Valência da Espanha. Sem o grande goleador que havia feito mais de 70 gols pelo clube, o time viveu uma verdadeira crise no setor de ataque, improvisando diversas vezes André Lima e Borges que, por terem as mesmas características, não deram certo.


Ato 5

O ano gremista havia começado mal, mas piorava, isso porque a classificação conseguida com sangue em 2010 foi colocada no lixo com uma das piores participações do Imortal na história da Libertadores. Com o placar de 2x1 (em casa) e 1x0 (fora) favorável ao rival das oitavas, Universidad Católica do Chile, nas quartas-de-final, o Tricolor acabou dando adeus a copa, sobrava apenas o Gauchão contra o Inter, igualmente eliminado pelo Peñarol na mesma fase da competição continental.


Ato 6

Depois da derrota na Libertadores o Grêmio voltava sua atenção para o Estadual, única possibilidade de título no primeiro semestre.

Com Renato Portaluppi no comando técnico, o Imortal revivia os anos 80 vencendo o Internacional dentro do Beira-Rio pelo grande placar de 3x2 e uma atuação de luxo, encaminhando o título. A decepção veio uma semana depois, sem conseguir repetir o bom resultado, acabamos derrotados no jogo de volta por 3x2, na decisão por pênaltis mais uma derrota. Perdíamos um título ganho, dentro de casa e para o maior rival.


Ato 7

As até então trágicas situações sofridas pelo Grêmio devido ao elenco limitadíssimo criado pela Direção teve outro responsabilizado. O então técnico Renato Gaúcho fazia um trabalho de superação com um grupo de jogadores extremamente deficiente, mas acabou demitido. A torcida protestava naquele momento, "queriam a cabeça" dos dirigentes, verdadeiros responsáveis pela situação de então, gritando em coro "Fora Odone!" e "Odone safado, só quer ser deputado".

Ato 8

Odone atingia seu grande objetivo em 2011, retirar Renato Portaluppi do Grêmio. Em seu lugar entrava o contestado Celso Roth, que tinha como ultimo trabalho o inconstante Internacional campeão da Libertadores e meses depois vergonhosamente derrotado pelo Mazembe TP, clube africano do Congo.

Neste momento começaram a chegar os reforços e a equipe iniciou uma evolução gradativa, mas as irregularidades nas atuações persistiram e o time acabaria fazendo uma apresentação pífia no Brasileirão.


Ato 9

O Grêmio pagou caro na busca por reforços, mas o dinheiro foi em vão. Muitos dos contratados mal entraram em campo, caso do atacante Miralles contratado junto ao Colo-Colo do Chile por 2,3 milhões de dólares.

As dívidas do clube aumentaram consideravelmente, chegando a quase 200 milhões. No campo econômico, a propósito, Odone foi o primeiro a afundar o Grêmio, assinando acordo com a Rede Globo pelos direitos de televisão, reduzindo o já então baixo escalão do clube, que ficará atrás da maioria dos grandes clubes do país na divisão das cotas de TV.

Ato 10

Imperador Paulo Odone Obino
Guerreiro de Araújo Ribeiro I
Agora chegamos no final do ano, um ano desde a posse de Paulo Odone. No Brasileirão, até então, vencemos o mesmo número de jogos que perdemos, saldo de gols negativo, campanha de time médio-pequeno. No Gauchão uma derrota vergonhosa para o Inter em casa na final e na Libertadores fica desnecessário comentar sobre a pior campanha dos últimos 21 anos.

Não há qualquer perspectiva de presente ou futuro, não se tirando uma boa contribuição da Direção autoritária do Grêmio em mais 380 dias de comando. Temos pela frente o grande sonho de formar uma equipe vencedora para 2012, mas na primeira tentativa de contratação já encontramos os primeiros erros.

A título de exemplo, o pretendido atacante Kleber do Palmeiras se reuniu com dirigentes sem qualquer poder de decisão para fechar a contratação, não estava presente o Presidente Odone ou Paulo Pelaipe, em uma demonstração cabal da desorganização do barco a deriva chamado "Grêmio". Outra grande bomba fica a cargo da campanha puxada pelo Presidente para a permanência do patético Juarez Roth como técnico do time da próxima temporada.


Por favor, PAREM DE DESTRUIR O NOSSO GRÊMIO!!!





OBS.: Esse post pode parecer anti-Odone, mas nada mais é do que a verdade vivida pelo Grêmio em 2011.
OBS.: Esse post não é político, nem o poderia considerando que o blogueiro sempre apoiou a facção do então criticado.

06/11/2011

BR'11: Atuação patética e mais uma derrota


É imensurável a decepção e a revolta que toma conta da nação gremista, um ano perdido, em que nos foi prometido tudo e saímos sem nada. Um ano seco, nem Gauchão, nem Copa FGF, nada. O planejamento foi para o espaço, assim como qualquer chance de taça ou vaga na Libertadores em 2011.

Rafael Marques é, no máximo reserva, mesmo assim dependemos dele por falta de elenco; Douglas precisa de um tempo no banco, mesmo assim dependemos dele por falta de elenco; André Lima precisa de um parceiro como Jonas na frente, se não serve para muito pouco, mesmo assim precisamos dele por falta de elenco. Essa situação é patética, o Grêmio se tornou tão pequeno quanto o time que a poucas horas nos derrotou.


Primeiro tempo

Foto: Douglas Magno/Gazeta Press
A etapa inicial foi caracterizada pela forte marcação dos dois lados, além de muito equilíbrio, na maior parte da etapa. Empurrado por sua animada torcida, o Atlético-MG começou atacando mais, obrigando o goleiro Victor a fazer boas defesas, aos 12 e 13 minutos, em chutes de Leonardo Silva e Daniel Carvalho. E aos 15 minutos, Neto Berola fez grande jogada pela direita e cruzou rasteiro, mas o atacante André deixou a bola passar, em vez de tentar a finalização.

Grêmio, por sua vez, levava perigo em alguns contra-ataques e, especialmente, nas bolas altas cruzadas sobre a área adversária. Em uma delas, aos 19 minutos, após cobrança de falta, a bola entrou, mas o lance foi anulado por causa da marcação de impedimento de André Lima. Aos 31 minutos, após bola perdida por Daniel Carvalho no meio, em que ele reclamou de falta não marcada pela arbitragem, Escudero finalizou para fora.

Apesar de bem marcado por Fábio Rochemback, Daniel Carvalho criava as melhores jogadas ofensivas atleticanas, alternando arrancadas com a bola, passes para seus companheiros e conclusões a gol. Do lado gremista, Douglas, na etapa inicial, apareceu mais em cobranças de bola parada, já que sofreu uma marcação individual de Pierre.

Depois de forte pressão, o Atlético marcou o gol, aos 41 minutos, quando André colocou a bola nas redes, após chute forte de Fillipe Soutto. Os jogadores gremistas reclamaram muito de um impedimento do atacante alvinegro. E a equipe visitante teve chances de empatar nos minutos finais, mas o time mineiro levou para o vestiário a vantagem parcial.


Segundo tempo

Foto: Douglas Magno/Gazeta Press
Os dois times voltaram com a mesma formação para o segundo tempo. Mas o Atlético-MG ficou com um jogo a menos logo aos 8 minutos, quando Neto Berola, que pouco antes havia recebido cartão amarelo, foi expulso por falta no lateral-esquerdo Júlio César. Com um atleta a mais, o Grêmio partiu para a pressão, em busca do empate.

E Cuca tratou de fechar ainda mais o seu time, colocando em campo os volantes Serginho e Richarlyson nos lugares do lateral-direito Carlos César e do atacante André. Celso Roth, ao contrário, tirou o volante Fábio Rochemback e colocou o meia-atacante Leandro. Dessa forma, a etapa final foi muito nervosa para a torcida atleticana, que viu o time gremista fazer um jogo de defesa contra ataque.

Mas a estrela de Cuca brilhou. O treinador, que tinha fechado o seu time, colocou em campo Marquinhos Cambalhota e viu o atacante marcar o seu primeiro gol pelo time atleticano, em um contra-ataque, levando a torcida alvinegra à loucura e acabando mais cedo o jogo em Sete Lagoas.



FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 0 GRÊMIO
Local: Estádio Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data: 5 de novembro de 2011, sábado
Horário: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Herman Brunel Vani (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Cartões amarelos: Leonardo Silva e Neto Berola (Atlético); Marquinhos e Gilberto Silva (Grêmio)
Cartão vermelho: Neto Berola (Atlético-MG)
GOLS: ATLÉTICO-MG: André, aos 41 minutos do primeiro tempo, e Marquinhos Cambalhota, aos 31 minutos do segundo tempo;
ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Carlos César (Serginho), Leonardo Silva, Réver e Triguinho; Pierre, Fillipe Soutto, Daniel Carvalho (Marquinhos Cambalhota) e Bernard; Neto Berola e André (Richarlyson)
Técnico: Cuca
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes (Everaldo), Rafael Marques, Gilberto Silva e Julio Cesar; Adilson, Fábio Rochemback (Leandro), Marquinhos (Gabriel), Douglas e Escudero; André Lima
Técnico: Celso Roth



Resultado\ Próximo jogo

Com a 13ª derrota, O Grêmio permaneceu com 46 pontos, praticamente dando adeus ao sonho de buscar uma vaga a Libertadores 2012. Agora recebemos o Palmeiras em crise no estádio Olímpico, dia 13 de novembro, PRECISAMOS vencer.



Vídeo:


Web Page Traffic Counters

Visitantes desde 26/11/2011