Grêmiopédia - A enciclopédia do Grêmio

Acesse nosso novo site, a Grêmiopédia.

Todos os títulos do Grêmio

Como foram os grandes títulos do Imortal, do Mundial até os torneios internacionais.

A Conquista das Três Américas

Conheça a primeira conquista gremista das Américas nos anos 50.

Histórico de Confrontos

Confira o histórico de confrontos do Grêmio contra os mais variados times do Mundo.

Histórico de Campanhas

Histórico de campanhas gremistas na Libertadores, Brasileirão e outras competições.

O Dia em que o Grêmio venceu a URSS

Conheça essa façanha esquecida

30/10/2011

BR'11: Ronaldinho Carioca aprendeu a lição, com toda certeza

A torcida do Grêmio lotou o Estádio Olímpico para o “jogo da vingança” contra o Flamengo de Ronaldinho Carioca e festejou em alto estilo. O Grêmio saiu perdendo por 2 a 0 e conseguiu uma virada épica para 4 a 2. Uma vitória com a cara do Imortal, vaias ensurdecedoras em um momento talvez inédito no futebol brasileiro e um dos poucos no futebol mundial.

A torcida gremista queria mesmo mostrar o que era ser chamado de gaúcho, cantou o Hino da República Rio-Grandense em uma só voz, além do tradicional "Ah! Eu sou Gaúcho!". Estava claro que, mesmo sendo um hábito, a manifestação estava endereçada ao ex-gaúcho.


Primeiro tempo

Foto: Roberto Vinicius/Futura Press
O Flamengo começou a partida no ataque e logo no primeiro minuto, o vaiado Ronaldinho Traira deu um passe de calcanhar para Deivid, mas a zaga cortou. Logo depois, Thomas foi derrubado na entrada da área. Ronaldinho cobrou, Victor tocou na bola que ainda se chocou com a trave dando grande susto na torcida gremista.

A resposta do tricolor aconteceu aos cinco minutos em chute de Douglas que Felipe defendeu parcialmente e a defesa carioca aliviou. Aos sete minutos, Douglas bateu falta e Felipe defendeu sem muita dificuldade. Aos 11 minutos, Deivid tabela com Ronaldinho Pilantra e recebe grande passe na cara do gol, mas chuta para fora.

A partida continuou movimentada e aos 15 minutos, Júnior César derrubou André Lima na entrada da área. Marquinhos cobrou forte, mas a bola bateu em André Lima e saiu. O time gaúcho aumentou a pressão e Douglas, aos 19 minutos, obrigou Felipe a uma grande defesa, depois de driblar Leonardo Moura e chutar com violência. A resposta do time carioca foi rápida. Ronaldinho Mercenário foi lançado na área, driblou Fernando, mas foi bloqueado por Gilberto Silva, na entrada da pequena área, na hora da conclusão.

Aos 23 minutos o Flamengo marcou o primeiro gol. Thiago Neves lançou Deivid que se aproveitou do escorregão de Rafael Marques para entrar na área e chutar no canto direito de Victor. O gol deixou o Grêmio desnorteado e o Flamengo, comandado por Ronaldinho, seguia criando situações de perigo. Aos 30 minutos, Deivid entrou pela direita, passou pelo goleiro Victor, mas perdeu o ângulo e seu cruzamento acabou desviado pelo goleiro gremista para escanteio. No minuto seguinte foi a vez de Thomas descobrir o zagueiro Welinton livre na área, mas o chute saiu muito torto.

Foto: Roberto Vinicius/Futura Press
O domínio da equipe carioca acabou resultando no segundo gol aos 34 minutos. Junior Cesar cruzou da esquerda, Leonardo Moura recebeu do outro lado e rolou para Thiago Neves que bateu de primeira. A bola desviou em Fernando e enganou o goleiro Victor. O time carioca aproveitava os espaços concedidos pelo Grêmio para criar jogadas em velocidade. Aos 39, Junior Cesar cruzou. Leonardo Moura ajeitou e Thomas exigiu grande defesa do goleiro gaúcho.

Quando tudo indicava que o Flamengo manteria a vantagem de dois gols, o Grêmio marcou aos 41 minutos. Mário Fernandes lançou André Lima que mesmo marcado por Welinton, conseguiu bater cruzado e colocar no canto direito de Felipe, explode torcida tricolor!. O Grêmio teve a chance de empatar aos 44 minutos em chute de Douglas que obrigou Felipe a uma grande defesa, foi "só" para um primeiro tempo emocionante.


Segundo tempo

Foto: Roberto Vinicius/Futura Press
A segunda etapa é que foi de enfartar. O Imortal voltou para o segundo tempo com Gilberto Silva na zaga já que o técnico Celso Roth optou por tirar o zagueiro Saimon que estava pendurado e colocou o volante Adilson para fechar o meio. E aos cinco minutos, o time gremista chegou ao empate, André Lima recebeu na intermediária, meteu a bola entre as pernas de Renato Abreu e chutou rasteiro no canto esquerdo de Felipe, era tudo que a nação azul queria. O inferno de Ronaldinho Mercenário estava apenas começando.

O time da casa se animou com o empate e aumentou a pressão. Preocupado, Vanderlei Luxemburgo trocou o meia Thomas pelo volante Muralha numa tentativa de dar proteção aos zagueiros. Aos 14 minutos, o Flamengo chegou com perigo pela primeira vez na segunda etapa em cobrança de falta de Renato Abreu que passou à esquerda do gol de Victor.

A partida caiu de ritmo, principalmente porque os dois times passavam a errar muitos passes. No Flamengo, Ronaldinho Traíra se mostrava discreto, participando pouco do jogo. Aos 21 minutos, Victor teve que sair do gol para evitar que Deivid chegasse na bola enfiada por Muralha.

Foto: Roberto Vinicius/Futura Press
Aos 30 minutos, o Grêmio perdeu uma chance incrível para marcar o terceiro gol. Leonardo Moura falhou ao tentar dominar a bola, Escudero entrou livre e chutou, Felipe defendeu parcialmente e Escudero, sem ângulo, tentou a conclusão, mas chutou nas redes pelo lado de fora. Mas 4 minutos depois o Grêmio marcou o terceiro, Douglas recebeu no bico direito da grande área, se livrou de Júnior César e bateu cruzado no canto direito de Felipe para delírio da torcida gaúcha.

E o Grêmio selou a sorte da partida ao marcar o quarto gol aos 38 minutos em bela jogada de Miralles. O argentino dominou a bola fora da área e mandou de curva sem chance para Felipe. Nos minutos finais, o Grêmio apenas administrou o resultado enquanto o a torcida gritava olé e festejava a vitória contra Ronaldinho Carioca, era tudo que queríamos, tiramos o doce da boca do Dentuço, da melhor forma, com a melhor vitória que poderíamos ter tido.



FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 4 x 2 FLAMENGO

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 30 de outubro de 2011, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Bruno Boschilia (PR)
Cartões amarelos: Saimon, Douglas, Adilson, Fernando, Bruno Collaço – Grêmio; Júnior César, Ronaldinho Carioca, Renato Abreu – Flamengo
Gols: GRÊMIO – André Lima aos 41 minutos do primeiro tempo e cinco minutos do segundo tempo; Douglas aos 34 e Miralles aos 39 minutos do segundo tempo; FLAMENGO – Deivid aos 13 e Thiago Neves aos 34 minutos do primeiro tempo
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Saimon (Adilson), Rafael Marques e Julio Cesar (Bruno Collaço); Fernando, Gilberto Silva, Douglas, Marquinhos e Escudero (Miralles); André Lima.
Técnico: Celso Roth
FLAMENGO: Felipe; Leonardo Moura, Alex Silva, Welinton e Junior Cesar; Aírton, Renato Abreu, Thomas (Muralha) e Thiago Neves; Ronaldinho Pilantra e Deivid (Diego Maurício).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo


Resultado\ Próximo jogo

Com a vitória, o Imortal subiu para 46 pontos e agora ocupa a nona posição na tabela. Nossa próxima partida é dia 5 de novembro, em Sete Lagoas, Minas Gerais, contra o Atlético Mineiro. Com uma vitória podemos voltar, quem sabe, para campeonato.



Vídeos:





28/10/2011

Pré recepção de Ronaldinho já anuncia o que vem por ai


A torcida do Grêmio está furiosa com Ronaldinho Carioca, faixas, cartazes, trapos, entre outras diversas formas de protestos ao jogador se anunciam. Vai ser difícil esquecer esse jogo, o Olímpico estará lotado, tanto de faixas quanto de inimigos mortais do Mercenário do sudeste.

22/10/2011

BR'11: Em decadência, empatamos com o menor clube da Série A

Mais um resultado, dessa vez um resultado que decepciona e revolta. O empate com o América Mineiro, primeiro futuro rebaixado na competição, demonstra o quão pequeno está o nosso Grêmio, erros e mais erros, empilhados em um 2011 que, assim como 2009, deve ser lembrado para que os mesmos erros não se repitam posteriormente, queremos mais, o mínimo seria uma vitória por goleada.


Primeiro tempo

Foto: Douglas Magno/Gazeta Press
O jogo começou quente e antes do primeiro minuto o atacante Léo, do América-MG, disparou para a área e trombou com Léo. Os jogadores do Coelho pediram pênalti, mas o árbitro mandou o jogo seguir. Porém, após o susto a partida caiu de produção e o Grêmio não conseguia mais chegar ao ataque e apertar o América-MG em sua defesa. Além disso, o nervosismo das duas equipes era evidente, com três cartões amarelos em menos de 15 minutos.

Em um jogo com muitas faltas, o primeiro gol só poderia sair em uma bola parada. Aos 15 minutos, Thiago Carleto cruzou na cabeça de Willian Rocha que desviou e matou Victor. O gol despertou o Tricolor que perdeu duas chances em dois minutos com Mirales. Primeiro em uma cabeçada e depois em um chute cruzado que pararam nas mãos do goleiro Flávio.

Com o tempo passando, o nervosismo também começou a jogar contra os gremistas. Com uma marcação firme no meio de campo, o América-MG conseguia manter o Grêmio longe de seu gol. O Tricolor só chegava aos trancos e barrancos, e quase conseguiu seu gol desta forma atrapalhada. Rochemback pegou um chute torto que André Lima desviou, mas a bola foi para fora. No fim do primeiro tempo o Grêmio chegou mais duas vezes na boca do gol, mas os chutes de Escudero e Douglas foram para fora.


Segundo tempo

Foto: Douglas Magno/Gazeta Press
O segundo tempo começou com o Grêmio pressionando da mesma forma que fez na primeira etapa, na bola parada. Rochembach mandou uma cacetada em uma falta, mas a bola foi por cima do gol de Flávio. Os visitantes se fechavam na defesa para segurar a vitória enquanto o Tricolor só conseguia criar lances em chutes de fora da área, mas sem muito perigo.

A pressão era grande e o Grêmio chegou ao empate na jogada que mais tentou, a boa aérea. Fábio Rochemback lançou a bola, aos 15 minutos, na área e Mirales apenas desviou para deslocar Flávio e igualar o marcador. O gol animou os gremistas e Leandro quase virou o marcador saindo livre na área, mas chutou muito acima do gol.

Aos 26 minutos o argentino Mirales saiu de herói para vilão. Em uma jogada despretensiosa, o atacante atingiu Dudu e recebeu o segundo amarelo, deixando o Grêmio com 10. Mesmo com a desvantagem numérica, o Tricolor partiu para cima com Mário Fernandes que obrigou Flávio a fazer uma linda defesa. Pouco depois, em uma falta, quase os gaúchos marcaram, mas a bola bateu na barreira. O América não conseguia aproveitar a vantagem de um homem a mais, mesmo com a substituição do volante Dudu pelo atacante Eliandro. Aos 39 minutos, André Lima tirou tinta da trave do Coelho, mas foi só.



FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 2 X 2 GRÊMIO

Local: Estádio Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data: 22 de outubro de 2011, sábado
Horário: 18 horas (de Brasília)
Público: 829 pagantes
Renda: R$ 5.470,00
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Assistentes: Jossemmar Diniz Moutinho (PE) e Clovis Amaral da Silva (PE)
Cartões amarelos: Micão, Marcos Rocha e Everton Luis (América-MG); Fernando e Edcarlos (Grêmio)
Cartão vermelho: Marcos Rocha (América-MG)
GOLS: AMÉRICA-MG: Carleto, aos 11 minutos do primeiro tempo, e Anderson, aos 41 minutos do segundo tempo;
GRÊMIO: André Lima, aos 34 minutos do primeiro tempo, e aos 6 minutos do segundo tempo;
AMÉRICA-MG: Neneca; Anderson, Micão (Fabrício) e Everton Luis; Marcos Rocha, Glauber, Leandro Ferreira, Rodriguinho e Carleto; Kempes (Léo) e Alessandro (Fábio Junior)
Técnico: Givanildo Oliveira
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Gilberto Silva, Rafael Marques e Julio César; Fernando (Edcarlos), Fábio Rochemback, Marquinhos (Adilson), Douglas (Diego Clementino) e Escudero; André Lima.
Técnico: Celso Roth



Resultado\Próximo jogo

Com esse resultado, o Grêmio chega aos 13 pontos. Na próxima rodada recebemos o Flamengo (e o Ronaldinho) no Olímpico Monumental, é a chance de sermos "grandes anfitriões" ao nosso "amado ídolo", para que esse jogo seja inesquecível para todos nós.


Vídeo:

18/10/2011

Valor da marca dos maiores clubes do Brasil

Não concordo muito com o ranking elaborado pela BDO RCS, até porque o atual líder não possui, aos olhos do Mundo, qualquer prestígio para tanto, mas segue:





17/10/2011

BR'11: Vitória histórica na Vila


O primeiro e único clube gaúcho a vencer o Santos na Vila Belmiro, em 1999 pela Seletiva da Libertadores, foi igualmente o primeiro clube gaúcho a vencer o time de Santos no alçapão, oficialmente estádio Urbano Caldeira, pelo Campeonato Brasileiro. Mesmo com toda "catinga" dos últimos anos, ainda somos nós que marcamos a história do futebol sulista.

Não resta muito ao Tricolor do Pampa, a vitória fora de casa não recupera os vários pontos perdidos no Olímpico, a lamentar eternamente derrotas como a para o Botafogo e Figueirense e empates como para o América e Atlético de Minas, pois são resultados como este que impossibilitaram ao Grêmio a disputa pelo título.


Primeiro tempo

Foto: ClicRBS
Não se pode classificar o resultado como brilhante, a equipe santista estava incompleta, sem a maioria de suas estrelas, o que determinou em grande parte o escore de 1x0 a nosso favor. Todavia não podemos deixar de destacar que o Imortal foi ao estádio mais difícil de se jogar no Brasil e venceu pela primeira vez, ironia já que o clube do interior paulista não era, até pouco tempo, grande coisa.

 Celso Roth não desiste de um esquema tático, as vezes dá certo, as vezes não. Por sorte neste domingo deu, o time gaúcho dominou o meio campo e impôs seu ritmo na partida. O Santos sofreu e só não tomou goleada pela bela atuação do goleiro Rafael e a descalibrada pontaria dos tricolores.

Quem começou forte foram os visitantes, logo aos 3 minutos André Lima arriscou de fora da área, por azar Rafael estava atento para salvar, espalmando para escanteio. Os paulistas responderam logo em seguida, aos 5 minutos Borges recebeu pela direita de ataque e quase conseguiu finalizar contra o gol de seu ex-time ingrato.

Foto: Conexão Gre-Nal
Aos 19 minutos mais uma chance, desta vez com Escudero. O meia atacou em velocidade, deixou Edu Dracena para trás, invadiu a área, mas, na conclusão, não conseguiu fazer. Logo após a grande jogada os gremistas roubaram a bola novamente, Fábio Rochemback lançou para Douglas que finalizou, no rebote André Lima tentou novamente, mas foi derrubado na área. Pênalti. Na cobrança Douglas errou, Rafael espalmou e na sobra Escudero estufou as redes.

O gol mexeu com os ânimos dos dois times, o Grêmio com medo e o Santos perdido não produziram mais. Uma das poucas chances foi com Escudero que perdeu uma chance de ouro em erro de Rafael aos 28 minutos.


Segundo tempo

Foto: Blog Sangue Azul
O Santos voltou forte para a segunda etapa, impôs uma certa pressão, apesar da carência técnica. Na defensiva, os gremistas saiam no contra-ataque, tendo como arma o controle do maio de campo. Aos 11 minutos Escudero quase fez seu segundo, mas errou, o mesmo aconteceu com André Lima que desperdiçou mais uma chance na partida.

No meio do jogo Muricy Ramalho agiu, sacou um atacante e colocou um meia, buscando o controle do setor central de campo. A resposta de Roth foi mais tarde, tirou Marquinhos para a entrada de Adilson e, logo depois, Clementino no lugar de Escudero.

As modificações empurraram o time para a defesa, se fosse alguma equipe mais regular, o time completo do Santos por exemplo, talvez o resultado não tivesse sido tão satisfatório. Como em 2009, quem sabe o nosso técnico perca jogos pela mania, ou melhor, medo de jogar. No fim das contas saímos vencedores, mas até quando teremos tanta sorte?


Resultado\ Próximo jogo

Com a vitória eliminamos o terror do rebaixamento, estamos com 42 pontos, 8 a menos que o primeiro classificado a Libertadores e 12 do título, que é praticamente impossível.

Nosso próximo jogo é no estádio Arena do Jacaré contra o América Mineiro. É a chance de tentar uma última arrancada na competição. O jogo será dia 22 de outubro, às 18 horas, sábado.


FICHA TÉCNICA:
Santos 0x1 Grêmio
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Gol: Escudero, aos 20min do 1º tempo
Cartões amarelos: SANTOS: Rafael, Edu Dracena GRÊMIO: Fernando, André Lima
SANTOS: Rafael; Danilo (Leandro Silva), Edu Dracena, Bruno Rodrigo e Durval; Arouca, Henrique e Ibson (Tiago Alves); Rentería (Breitner), Alan Kardec e Borges
Treinador: Muricy Ramalho
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Gilberto Silva, Rafael Marques e Júlio César (Bruno Collaço); Fernando e Rochemback; Marquinhos (Adílson), Douglas e Escudero (Diego Clementino); André Lima
Treinador: Celso Roth


Vídeo:


14/10/2011

Quarta camisa escolhida


O modelo azul-marinho, que disputava a preferência da torcida com o celeste e o havana, venceu com 45,82% dos votos a eleição do quarto uniforme do Grêmio. O uniforme celeste ficou em segundo, com 37,27%, e o havana terminou em terceiro, com 16,92%.


  • As vendas do quarto uniforme deve começar em outubro.

13/10/2011

BR'11: Mais um vexame na conta

O vexame ontem no estádio Olímpico expõe uma constante, o Grêmio não consegue ser regular estritamente por que não possui peças, o chamado "elenco". Quando se olha para o time em campo, e banco, não se vê o jogador "alternativa", mas apenas sanguessugas que não jogam nada e prejudicam naquilo que podem, como no caso de Miralles, que veio ao Monumental a passeio.

Talvez seja hora de agir como o Pelaipe mesmo, pensar em 2012 e esquecer, mais uma vez, um ano perdido. Quem sabe não tenha sido melhor perder a vaga na Libertadores para que a Copa do Brasil e principalmente a Sul-Americana sejam os caminhos mais curtos e satisfatórios em busca de um título, já que estamos agonizando por uma taça.


Primeiro tempo

Foto: Edu Andrade/Futura Press
Começamos a partida de forma promissora, logo aos 9 minutos André Lima criava uma chance de abrir o marcador, mas não passava de chances. O Figueira, antes acuado em campo, começou a se soltar. E quando chegou ao gol de Victor pela primeira vez, quase foi letal. Aos 12 minutos, Wellington Nem passou como quis pela marcação gremista e deixou Aloísio cara a cara com Victor, mas o camisa 9 tardou a finalizar e Edcarlos afastou o perigo.

A apatia do Grêmio, que teve boa chance de gol apenas com uma finalização de Marquinhos no travessão, convidou ainda mais o sempre perigoso Figueirense para o seu campo. E se Aloísio deixou a desejar quando ficou em condições de vencer Victor pela primeira vez, mas se redimiu aos 33 minutos. Após Wellington Nem colocar a bola por entre as pernas de Edcarlos, Aloísio finalizou com força e abriu o placar no Olímpico.

O Grêmio acusou o golpe. Com a desvantagem, o Tricolor se lançou ainda mais ao ataque e com isso, o Figueira teve o espaço que precisava para ampliar três minutos depois de calar o Olímpico pela primeira vez. Após contra-ataque, Juninho lançou Elias, que recebeu e finalizou sem muita força. Mas Victor falhou e aceitou.

Desorganizado, o Grêmio foi para o abafa nos minutos finais da primeira etapa. Marquinhos finalizou da entrada da área e acertou o travessão, aos 41 minutos. Já Douglas, aos 44, cobrou escanteio e quase fez um gol Olímpico. O primeiro tempo, definitivamente, não foi do Grêmio.


Segundo tempo

Foto: Edu Andrade/Futura Press
Insatisfeito com o que viu na primeira etapa, o técnico gremista Celso Roth promoveu a entrada de mais um atacante. Miralles entrou na vaga de Escudero e passou a fazer companhia a André Lima. Já na zaga, o experiente Gilberto Silva, de 35 anos, passou a atuar ao lado de Edcarlos.

Mas as mudanças de Roth não surtiram o efeito desejado logo de imediato, já que a marcação do Figueirense e o inspirado goleiro Wilson se destacavam. Mas o camisa 1 do Figueira nada pôde fazer quando Douglas fez cruzamento preciso para a cabeçada de Edcarlos, que diminuiu o prejuízo gremista, aos 23 minutos.

Se a chama gremista tinha sido acesa com o gol de Edcarlos, o Figueirense tratou de comprovar a sua eficácia no jogo. Após receber em velocidade pela esquerda da marcação, Wellington Nem não tomou conhecimento de Gilberto Silva e ainda driblou Victor antes de finalizar para o gol.

O desespero tomou conta dos "comandados" de Roth. Diego Clementino e André Lima desperdiçaram boas oportunidades de gol, assim como o Figueirense, que voltou a levar perigo com Wellington Nem em duas outras oportunidades. Mas para a "sorte" do Grêmio, a derrota foi apenas por 3 a 1.



FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 1 X 3 FIGUEIRENSE
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 12 de outubro de 2011, quarta-feira
Horário: 18 horas (de Brasília)
Público: 23.151
Árbitro: Rodrigo Braghetto (SP)
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Herman Brumel Vani (SP)
Cartões amarelos: Edcarlos (Grêmio); Ygor (Figueirense)
GOLS:
GRÊMIO: Edcarlos, aos 23 minutos do segundo tempo;
FIGUEIRENSE: Aloísio, aos 33, e Elias, aos 37 minutos do primeiro tempo, e Wellington Nem, aos 30 minutos do segundo tempo;
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Edcarlos, Rafael Marques (Gilberto Silva) e Julio Cesar; Fernando, Fábio Rochemback, Douglas, Marquinhos (Diego Clementino) e Escudero (Miralles); André Lima
Técnico: Celso Roth
FIGUEIRENSE: Wilson, Pablo (João Paulo), Edson Silva, Roger Carvalho e Juninho; Ygor, Túlio (Jonatas), Coutinho e Elias e Wellington Nem; Aloísio (Rhayner)
Técnico: Jorginho



Resultado\ Próximo jogo

Com a terceira derrota gremista no Olímpico, estamos na 11ª posição, com 39 pontos. Na próxima rodada o time viaja para enfrentar o Santos, onde nunca vencemos em Campeonatos Brasileiros, só rezando mesmo para ganhar pelo menos um ponto.



Vídeo:


12/10/2011

Juventus de olho em Mário Fernandes



O jogador gremista Mário Fernandes esta cada vez mais em alta, há rumores de que a Juventus estaria interessada em contar com o jogador jóia da casa. Se quiser vai ter que pagar caro, isso porque a multa rescisória do guri está nas alturas e o contrato é longo.

08/10/2011

BR'11: Desfalques derrotam o Grêmio em Curitiba

Mais uma derrota, uma derrota que interrompe a segunda sequência do Tricolor Gaúcho, desta vez pagamos pelo péssimo plantel do reservado que possuímos, três lesões de titulares e o time já fica completamente descaracterizado pela falta de banco, realmente uma situação patética de um clube do tamanho do Grêmio.

Primeiro tempo

Foto: Denis Ferreira Neto /Futura Press
O Grêmio tinha mais posse de bola, mas o Coritiba achava alguns espaços e tomava a iniciativa. No entanto, o Tricolor conseguia marcar bem e controlar o jogo. O time da casa arriscava mais, com Bill, Léo Gago e Tcheco, mas não acertava o alvo. Entre os ataques mal-sucedidos, o que terminou com a conclusão de Mário Fernandes, para fora, aos sete minutos, foi o mais perigoso. Rochemback fez um belo lançamento para a área, Diego Clementino dominou e rolou para o lateral tentar por cobertura.

Mas a melhor chance estava por vir, e desta vez com gol. Para a comemoração da torcida da casa, Léo Gago arriscou de longe e acertou a trave, no rebote ninguém da defesa gremista apareceu para afastar e Marcos Aurélio finalizou para abrir o placar, aos 14. O Grêmio, no entanto, não se abateu, na jogada logo após o gol, um bom ataque por pouco não gerou o empate. Julio Cesar fez grande jogada passando pelo marcador na esquerda, lançou Marquinhos, que conclui, mas a bola não entrou porque bateu em Jeci e desviou para a linha de fundo.

Aos 36, em uma boa falta assinalada a favor do Grêmio, Marquinhos colocou a bola na área e Gilberto Silva saltou mais alto que todo mundo para cabecear para fora. Três minutos depois, Fernando arriscou de fora da área, mas o chute saiu um pouco fraco e Vanderlei segurou. Do mesmo modo, de longe, Adilson tentou duas vezes: uma das finalizações saiu por cima do gol, e a outra foi fraca, para a defesa do goleiro. Nada mais no primeiro tempo preocupante.


Segundo tempo
 

Foto: Denis Ferreira Neto /Futura Press


Os primeiros cinco minutos foram todos do Coritiba. A cena não era nada boa para o Grêmio. Logo no início, Rafael Marques cortou de cabeça um levantamento para a área, e deu a bola nos pés de Everton. O jogador, porém, não aproveitou. Arriscou de fora da área, para fora. Aos quatro, Gilberto Silva, com um belo desarme, impediu que Marcos Aurélio fizesse seu segundo gol, o meia-atacante do Coritiba recebeu na frente do gol e, na hora da conclusão, o volante tricolor, improvisado na zaga, fez o corte.

O Grêmio se perdeu. Não conseguia mais encontrar um jeito de se aproximar da área adversária. A bola não passava mais por Marquinhos nem por Escudero no meio, e Mamute mal via a bola. Enquanto isso, o Coritiba trocava passes e ameaçava de vez em quando no ataque. A atuação sólida da defesa, com destaque para Gilberto Silva, era o que segurava o Tricolor.

Até que, finalmente, o Grêmio conseguiu passar com alguma qualidade a linha do meio-campo. Marquinhos fez jogada individual, carregando a bola até chegar perto da área. Arriscou dali, mas não acertou o gol. O lance foi isolado. O time da casa seguiu em cima do visitante.

Aos 25 minutos, Marcelo Oliveira decidiu mudar. Tirou um dos destaques da equipe e o autor do gol, Marcos Aurélio, para a entrada de Davi. Cinco minutos mais tarde, o Coritiba faria seu segundo gol. Em escanteio cobrado por Tcheco, Jeci subiu para acertar um cabeceio que Victor não conseguiu alcançar. Com o 2 a 0 no placar, o Coritiba matou o jogo, o Grêmio não esboçava uma reação, mesmo que, aos 31, um chute forte de Escudero após passe de calcanhar de Marquinhos tenha levado perigo a Vanderlei, que defendeu. O Grêmio tentou, mas saiu com mais uma derrota no campeonato.



FICHA TÉCNICA
CORITIBA 2 X 0 GRÊMIO

Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Data: 08 de outubro de 2011, sábado
Horário: 18 horas (de Brasília)
Público: 21.960 pessoas
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises e Lucio da Silva de Mattos (ambos RJ)
Cartões amarelos: Jéci e Vanderlei (Coritiba), Fábio Rochemback (Grêmio);
GOLS:
CORITIBA: Marcos Aurélio, aos 14 minutos do primeiro tempo, e Jéci, aos 29 minutos do segundo tempo;

CORITIBA: Vanderlei; Jonas, Emerson, Jéci e Lucas Mendes; William (Leonardo), Léo Gago, Tcheco e Everton Costa (Anderson Aquino); Marcos Aurélio (Davi) e Bill
Técnico: Marcelo Oliveira

GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Gilberto Silva, Rafael Marques e Julio Cesar; Fernando, Fábio Rochemback, Marquinhos (Willian Magrão), Escudero e Diego Clementino (Yuri Mamute); Brandão (Adilson)
Técnico: Celso Roth



Resultado\Próximo jogo

Com o resultado, o Grêmio cai para o 10º lugar, com 39 pontos. Temos a chance de iniciar outra boa sequência contra o Figueirense no Olímpico, dia 12 de setembro, as 16h.


Vídeo:


06/10/2011

BR'11: Libertadores logo ali


Mais uma vitória, a terceira em sequência na competição. É momento de enfileirar pontos, contra o Coritiba fora de casa será difícil, mas uma vitória nos leva a um patamar interessante na competição. Estamos a cinco pontos da zona da Libertadores, com mais 3 poderemos ficar colados nela.

Primeiro tempo

Foto: Ricardo Rimoli/Agência Lance
O Grêmio mostrou em campo tudo que significava a partida. Última esperança para seguir sonhando com a Libertadores, o duelo foi trabalhado toda semana. Desde os primeiros minutos, a vontade pautou atuação. Em 3 minutos, três chutes já haviam sido dados. A 4 minutos, Brandão entrou cara a cara com Rafael, tentou driblar o goleiro e perdeu a jogada. A exemplo do que ocorreu no treinamento de terça-feira, o camisa 9 foi vaiado.

Mas 5 minutos foram suficientes para a redenção. Fábio Rochemback inverteu a bola para Julio Cesar, que cruzou para Douglas. O armador tocou para Marquinhos, que chutou, no rebote ele cruzou e Brandão fez de cabeça. Todos jogadores, reconhecendo o momento difícil do comandante de ataque, vibraram muito e pediram aplausos voltados às arquibancadas. Brandão terminou com o jejum dos atacantes. Há 5 jogos que um jogador de frente não marcava.

A atuação do Grêmio continuou muito superior. Perdido, o Santos mal conseguiu chegar no gol defendido por Victor. Marquinhos, Escudero e Douglas, sem forte marcação, tiveram boas chances de ampliar, ainda antes dos 15 minutos de jogo. O Santos conseguiu, porém, a 16 responder com Ibson perdendo de dentro da área ao chutar para fora.

A partir daí o Santos se encontrou. O time visitante, com Ibson na figura principal, passou a ameaçar o gol de Victor, obrigando o goleiro a grandes defesas. Contra-ataques mostravam o Grêmio do início da partida, e qualquer prognóstico seria impossível. A 42 minutos, o desafeto gremista, Borges, que durante todo jogo foi "marcado" pelos torcedores, ficou livre dentro da área mas pegou muito mal e colocou para fora. Fim da primeira etapa.


Segundo tempo

Foto: Ricardo Rimoli/Agência Lance
O segundo tempo apresentou um jogo aberto, com chances dos dois lados. Rafael e Victor participaram constantemente da partida com boas intervenções. No principal lance de gol, o Santos contou com falha do goleiro do Grêmio, mas perdeu chance clara com Alan Kardec.

Pressionando, o time de Muricy Ramalho não conseguia vencer a barreira gremista. Com boa defesa o Grêmio resistia as investidas, aproveitando a má atuação do santista de Elano, do reencontro de Borges com se ex-clube e da sequência interessantes de vitórias dos donos do Sul.

Estamos em um bom momento. Em casa, chegamos a sexta vitória em sete jogos sob o comando de Roth. O técnico "paraguaio" arranca bem, mas, como todos sabem, quanto mais alto ele chega, maior é sua queda depois, tem que ser monitorado, quando começar a falhar é rua.



FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 1 X 0 SANTOS
Local:
Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 5 de outubro de 2011, quarta-feira
Horário: 20h30 (de Brasília)
Renda: R$ 414.117,00
Público: 26.020
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (Fifa-RJ) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Cartões amarelos: Julio Cesar, Escudero e Douglas (Grêmio); Danilo, Ibson, Léo, Borges, Arouca e Edu Dracena (Santos)
GOL: GRÊMIO: Brandão, aos 9 minutos do primeiro tempo;

GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Rafael Marques, Edcarlos e Julio Cesar; Fernando, Fábio Rochemback, Marquinhos (Gilberto Silva), Douglas e Escudero (Miralles); Brandão (André Lima)
Técnico: Celso Roth
SANTOS: Rafael; Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano (Henrique) e Ibson (Renteria); Alan Kardec e Borges
Técnico: Muricy Ramalho



Resultado\ Próximo jogo

Com o resultado o Grêmio conquistou 39 pontos. Igualando o número de jogos da maioria dos oponentes, somente 5 pontos separam a equipe da zona da Libertadores. Nosso próximo jogo é contra o Coritiba, dia 8 de outubro, no Paraná.



Vídeo:



04/10/2011

ARENA: Ignorância marca incidentes na obra da Arena



As obras da nova casa do Grêmio estão passando por um momento delicado, após o acidente acidental, com o perdão da redundância, todavia necessária, visto os fatos ocorridos, observamos o quão irracionais se tornaram os incidentes da obra do novo templo do Tricolor Gaúcho.

Tudo começa com o atropelamento e morte de um funcionário que nem da obra do estádio era, em uma via movimentada da maior capital do Sul do País, em que necessariamente tem de se andar rápido. Não bastando essas fáceis e visíveis constatações, a vítima do atropelamento quase teve seu culpado punido mesmo no local.
O motorista que atropelou o funcionário da OAS que voltava para o alojamento parou para socorrer (fato cada vez mais raro tanto no RS quanto no Brazil) e quase foi linchado pelos demais operários da obra. Não se sabe o tamanho da culpa do motorista, principalmente levando-se em conta os fatores anteriormente mencionados, nada justifica esta ação dos trabalhadores da obra se não uma completa falta de bom senso.

Não bastando a lamentável ação que só não resultou em danos para o motorista, que até que provem o contrário é inocente, conforme defende nossas leis (Constituição Federal), houve tempo e disposição para mais.

Um bandido, isso porque alguém que age de tal forma de outro nome não poderia ser chamado, ateou fogo nos alojamentos dos operários da OAS em forma de protesto. Resultado? Muitos trabalhadores e pais de família que são do norte e nordeste do Brazil, leia-se de um local realmente distante, perderam seus documentos e pertences, muitas vezes (se não a totalidade), perderam tudo que haviam trazido para o Rio Grande do Sul.

Ignorâncias que trazem prejuízo inestimáveis nos incidentes que vem passando as obras da OAS, o que inclui a nova casa do Imortal Tricolor. Falta consciência, bom senso e, sobretudo, respeito ao próximo e a si mesmo.

02/10/2011

BR'11: Contra o Cruzeiro, o possível divisor de águas

Dois gols, um triunfo importante diante do maior algóz do Grêmio na história. Vencer é bom, vencer o Cruzeiro em qualquer local ou circunstância é melhor ainda. O resultado positivo é muito importante em um possivel divisor de aguas entre o péssimo Tricolor Gaúcho do primeiro semestre e o bom do segundo período do Brasileirão.


Primeiro tempo

Foto: Terra Esportes
O Grêmio começou fulminante. Com proposta de esperar o adversário, o Cruzeiro iniciou o jogo de forma defensiva, saindo nos contra-ataques, todavia a proposta falhou logo no início. Aos 4 minutos de jogo Rafael Marques empurrava a primeira bola para as redes, após lambança na área da Raposa, era o Imortal aproveitando o momento de desespero do adversário, renasce a competência do Grêmio de outrora.

O gol, que certamente não estava nos planos do Cruzeiro, foi uma ducha de água fria para a equipe mineira, que tardou e levar perigo para o Tricolor. Já os gremistas, bem postados em campo, seguiam melhores. Aos 18 minutos, Marquinhos levou perigo, o camisa 19 arriscou finalização de fora da área e Fábio 'tirou' a bola com os olhos. Já aos 29, Douglas passou pela marcação cruzeirense e finalizou no travessão de Fábio.

Com Montillo e Roger, os principais responsáveis pela armação cruzeirense bem marcados, os torcedores da Raposa que compareceram ao Olímpico sofreram. A primeira oportunidade surgiu aos 35 minutos, quando Vitor fez bom cruzamento e Farías, em posição irregular, marcou. Mas o árbitro goiano Elmo Alves Resende Cunha, acertadamente, invalidou o gol. O Grêmio, apesar de não ter a precisão necessária para concluir as oportunidades criadas, finalizou a primeira etapa muito melhor. Aos 49 minutos, Brandão só não ampliou no Olímpico, pois Fábio, atento, fez a defesa.


Segundo tempo

Foto: Terra Esportes
O técnico estreante Vagner Mancini percebeu a ineficiência do seu sistema ofensivo e promoveu a entrada do meia-atacante Elber na vaga do volante Sandro Manoel, que pouco fez. E foi o Cruzeiro que levou perigo logo de imediato. O até então sumido em campo Montillo fez Victor trabalhar logo com dois minutos, após finalização de fora da área.

Mas o Grêmio era mais eficaz. Após Marquinhos receber em velocidade e finalizar para a boa defesa de Fábio, o camisa 19 voltou a decidir. Marquinhos deixou Escudero numa boa e o argentino finalizou na saída de Fábio, que nada pôde fazer. Grêmio 2 a 0 aos quatro minutos novamente.

Insatisfeito com o que via em campo, o estreante Vagner Mancini sacou Farías e promoveu a entrada de Anselmo Ramon. Mas quem levava perigo na Raposa era Montillo, o argentino tabelou com Vitor e finalizou com força para a bela defesa de Victor, aos 19 minutos. O final do duelo mostrou o Cruzeiro desesperado e um Grêmio com o domínio total da partida, quem sabe não é o início de um novo momento no Monumental?



FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 2 X 0 CRUZEIRO

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 2 de outubro de 2011, domingo
Horário: 18 horas (de Brasília)
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Jóia (Fifa-
RJ) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Cartões amarelos: Fábio Rochemback e Miralles (Grêmio); Sandro Manoel (Cruzeiro)
Público: 17.507 pagantes
Renda: R$ 329.350,00

Gols: Grêmio: Rafael Marques, aos quatro minutos do primeiro tempo e Escudero, aos quatro minutos do segundo tempo.
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Rafael Marques, Edcarlos (Vilson) e Júlio Cesar; Fernando, Fábio Rochemback, Marquinhos (Adilson), Douglas e Escudero (Miralles); Brandão
Técnico: Celso Roth

CRUZEIRO: Fábio, Vítor, Léo, Victorino e Gabriel Araújo; Charles, Sandro Manoel (Élber), Everton e Roger (Séba); Montillo e Farías (Anselmo Ramon)
Técnico: Vágner Mancini


Resultado\ Próximo jogo

Com o triunfo, o Tricolor foi aos 36 pontos e assumiu a décima posição, oito pontos separam o clube do G5. O Grêmio volta a atuar no Campeonato Brasileiro na próxima quarta-feira, dia 5 de setembro, às 20h30min, quando receberá o Santos, no Olímpico, em jogo adiado da 11ª rodada.



Vídeo:


Web Page Traffic Counters

Visitantes desde 26/11/2011