04/07/2011

MATUTANDO: Que rumo tomar?



A atual situação gremista levanta uma questão insólita sobre rumo que tomará o Grêmio de agora em diante. Mudaram as peças do quebra-cabeça no meio do jogo, não dá para prever os caminhos que o Imortal trilhará, muito menos onde estaremos no final da história.


Sobre o Grêmio

O Tricolor é clube copeiro, acostumado ao topo das competições, mas essa situação passa a ser preocupante quando apensas figuramos na elite, mas não fazemos nada para ter destaque nela. O clube acumula um histórico positivo na última década, tudo bem o rebaixamento e as temporadas 2003-2004, mas a verdade é que o Grêmio surpreende sim.

Nos anos 2000 a equipe não deu vexame, chegando às semifinais do Brasileirão, em 2001 a última conquista (Copa do Brasil), em 2002 foi um dos destaques no nacional e Libertadores, 2003 e 2004 foi triste pela situação econômica que passou (mesmo assim foi bem na Libertadores), mas de 2006 até hoje acumula dois vices (Libertadores e Brasileirão) e várias posições nobres em campeonatos.

Faltou a competência das direções Koff e Odone-2005 (citando as duas que se destacam nos últimos tempos) para alcançar o objetivo maior da instituição, ser o melhor naquilo que disputa. Os insucessos foram, e são, devido a falta de elenco das equipes gremistas, contratações erradas ou pior, a falta de contratações.

Somente citando os anos de 2007 e 2008, perdemos dois dos maiores títulos que um clube brasileiro pode conquistar por pura falta de elenco. Não nos faltou qualidade de Carlos Eduardo, Victor, Rever, Diego Souza, Mano Menezes e afins, faltou a consistencia da equipe, a estabilidade e divisão da qualidade em todos os setores do campo, pois é isso que faz um clube campeão.

Em 2011 estamos sofrendo o mesmo erro dos anos anteriores, falta contratação e quando vem é dois ou três. Não impera a realidade de um reforço em todas as posições, que torne o clube competente para atacar, defender e criar. No início da temporada o time foi recheado de meio campistas (que não ficaram por sinal), em compensação, a defesa sofreu carências e o ataque nem se fala.

Falta grupo ainda, é preciso mais qualidade para conquistar um título do nível do Brasileirão. Não se fala em título contratando mais um, dois quem sabe, e três já podemos pensar no caso. Falta competência, pois sorte não faltou, desde 2005.


O técnico

Foi erro da direção, não tirar o ídolo Renato, mas tirar o técnico sem jogadores Renato. Não se coloca Muricy Ramalho em um time sem metade de qualidade e diz "vai e ganha!", o que se dizer do emergente Portaluppi então. O próprio último campeão brasileiro e atual campeão da Libertadores disse quando assumiu o Flu que precisava de jogadores, ganhou equipe e venceu o Brasil.

Muitos técnicos, como o Fossati no Inter, por exemplo, não sabem produzir bons resultados mesmo estando com grandes elencos, no caso de Renato não lhe foi dado elenco para que desse uma resposta sobre sua capacidade, mas, em 2010, quando lhe foi dado time, ele produziu.

A escolha de Julinho Camargo não é errada, entre trazer Roth, odiado pela torcida; Cuca, depressivo e duvidoso; Adilson, em faze pior do que o Grêmio; Dunga, sem comentários; e Dorival Junior, escola de futebol completamente adversa da nossa e ainda empregado; se fez uma escolha audaciosa, mas, a principio, certa.

Julinho não tem muita experiência, assim como o técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, não tinha. Conhece o clube, a base e se dá bem com a Direção, tem grandes chances de dar certo, mas terá que aguentar a pressão e mandar no vestiário. Ai é que está, o vestiário me preocupa, pois os jogadores terão pela frente um técnico que é menos que eles e nunca é fácil obedecer alguém hierarquicamente inferior (contrário de Renato no Grêmio).

Só podemos desejar sorte e ter a certeza de que o novo técnico gremista irá fazer aquilo que os torcedores mais pedem, valorizar a base e trazer os bons para junto de nós, pois ele sabe quem são OS bons.


O Campeonato Brasileiro

Não existe no campeonato equipe como o Barça na Europa, o Santos de 2010 e o Cruzeiro da Libertadores 2011. Não há destaque no futebol brasileiro, nem São Paulo que começou bem, nem Santos campeão da Libertadores, nem Corinthians 5x0 Ceni, nem ninguém.

O campeonato está para qualquer um, não dá para dizer que já estamos fora. Arriscamos, agora é hora de ver se o chute foi para o gol ou se temos chances de escanteio, não foi gol contra nem pênalti adversário, é apenas o início da partida.

Esperamos os reforços para fazer o time, não será agora contra o Cruzeiro que começaremos a jogar bonito, talvez demore alguns meses para tanto (lembrando que estamos fazendo time como em pré-temporada). Infelizmente, é hora de apoiar, pois a vontade é entrar na sala da Presidência e tacar fogo em tudo.


Possibilidades

Dá o título? Claro que dá, mas é preciso muito mais do que temos. Tem que vir mais uns três reforços de peso, nomes estão sendo especulados como Alex Silva (boa escolha para a defesa carente), Paredes (aparente boa escolha para o banco) e Ibson (boa alternativa se continuar jogando como jogava).

Os nomes cogitados são caros, mas fazem o que chamamos de elenco, o que todo time campeão precisa. O Barcelona não é campeão porque tem o Messi (por mais que seja o destaque), é campeão porque fez time e banco, quando um sai entra outro se não a altura em um nível próximo.

Não teremos um elenco a la Barça, mas precisamos de um elenco a la Imortal Copeiro e, quando tivermos, seremos novamente um clube PROTAGONISTA. 

0 comentários:

Postar um comentário

Web Page Traffic Counters

Visitantes desde 26/11/2011